Num período de 10 meses, o Datafolha viu o número de petistas mais que dobrar

Há um fenômeno acontecendo nos levantamentos do Datafolha a respeito da corrida presidencial. Cada vez que o instituto vai às ruas, encontra mais e mais eleitores que se dizem petistas. Em dezembro de 2016, apenas 9% assumiam ter o PT como partido de preferência. Em maio de 2017, o número saltou para 15%. Em junho, para 18%. E em outubro, para 19%.

Fenômeno semelhante não se deu com os grandes partidos do governo Temer. Durante este intervalo de 10 meses, PMDB e PSDB apenas oscilaram entre 4% e 5%. Considerado linha auxiliar do petismo, o PSOL também seguiu estacionado em 1%.

O gráfico abaixo desenha bem o que vem acontecendo:

Partidos de Prefrência
Fonte: Datafolha (clique para ampliar)

É possível especular bastante coisa a respeito da barra vermelha cada vez maior. Inclusive, leituras que vão de encontro à credibilidade do instituto. O mais provável, contudo, é que a baixa popularidade do governo Temer venha permitindo ao petista se assumir como é, como foi, ou nunca deixou de ser.

Que isto sirva de alerta a quem acha que o jogo em 2018 já está decidido. Claro, muita água ainda há de rolar. Mas isso necessitará muito trabalho, e do bem feito.