Decisão que salvou Aécio no STF tem libertado parlamentares presos

Por obra do trabalho apressado de Rodrigo Janot, tanto Michel Temer como Aécio Neves viram seus mandatos em risco. Mas se uniram para sobreviverem às acusações. Da parte do tucano, garantiu que aliados votassem em benefício do peemedebista na Câmara Federal. Da parte do presidente da República, trabalhou para que STF e Senado fossem generosos com o senador.

Como se esse lavar de mãos já não fosse suficientemente repugnante, é preciso entender que as decisões da Suprema Corte brasileira geram uma reação em cadeia. Pois servem de exemplo às instâncias inferiores. No que o STF decidiu que medidas previstas no Código de Processo Penal só podem ser aplicadas a parlamentares com a autorização das casas onde atuam, vereadores e deputados passaram a buscar direitos que antes não tinham.

Menos de um mês depois de Aécio se safar, três outros parlamentares já tinham se beneficiado da decisão. No caso mais emblemático, um deputado estadual deixou a prisão para reassumir o mandato após votação de seus pares.

E, conforme alertou O Globo, a contagem estava apenas começando.

Curtiu o texto? Siga o autor no Twitter ou Facebook, ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) dele clicando aqui e seguindo as instruções.
Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

Publicado por

Marlos Ápyus

Jornalista e músico. Edita o implicante.org desde julho de 2017. Siga-o no Twitter (@apyus) ou no Facebook (/apyus), ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) clicando aqui.

Deixe uma resposta