Despesas pessoais de Sérgio Cabral chegavam a R$ 4 milhões por mês

Despesas pessoais de Sérgio Cabral chegavam a R$ 4 milhões por mês

Se a Lava Jato curitibana parece ter entrado numa fase em que atua mais nas planilhas do que nas ruas, a carioca, um ano após a prisão de Sérgio Cabral, dava apenas os primeiros passos. Foi o que garantiu a O Globo o procurador Eduardo El Hage, que coordena a força-tarefa no Rio de Janeiro.

Para se ter uma noção do tamanho dos peixes capturados pelos investigadores, Hage entregou que o ex-governador detido em 2016 gastava R$ 4 milhões por mês só com despesas pessoais.

Repetindo: por mês.

“É difícil, porque o saque aos cofres públicos foi monstruoso. O mínimo seria o que foi devolvido pelos irmãos Chebar (delatores): US$ 100 milhões. Mas, antes da devolução, enquanto o ex-governador estava solto, muito já tinha sido gasto, então esse valor (desviado) é bem superior. A gente viu que ele (Cabral) tinha um gasto mensal de R$ 4 milhões com despesas pessoais. O desvio que foi feito na Secretaria de Saúde é algo que ainda vamos revelar com mais detalhes. Envolve grandes multinacionais do setor de Saúde, que fizeram importações fraudulentas com o governo do estado do Rio. Causaram um dano que a gente ainda vai revelar em próximas fases.”

Mas é sempre bom lembrar que o trabalho poderia estar sendo bem mais efetivo se Gilmar Mendes não estivesse dificultando tanto o trabalho dos investigadores. E de o governo Temer não estivesse criando obstáculos para o trabalho da Polícia Federal.