Diretor da Polícia Federal foi escolhido em reunião fora da agenda entre Michel Temer e José Sarney

Era sábado, 4 de novembro de 2017. Sem qualquer registro em agenda oficial, Michel Temer recebeu José Sarney para acertarem a nomeação de Fernando Segóvia à direção-geral da Polícia Federal. A informação foi confirmada pela Folha de S.Paulo, que acrescentou: o encontro se deu no Palácio do Jaburu, e a dupla conversou a sós.

Quatro dias depois, chegou ao noticiário que Segóvia passaria a comandar a PF. Eliseu Padilha, também do PMDB, e também denunciado pela Lava Jato, apoiara a decisão.

Ainda segundo a Folha, os peemedebistas queriam, com isso, oferecer freios à operação que tem tocado fogo no cenário político brasileiro.

Ao que tudo indica, com um cansado silêncio “das ruas”, a Lava Jato sofreu o seu mais duro golpe.

Curtiu o texto? Siga o autor no Twitter ou Facebook, ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) dele clicando aqui e seguindo as instruções.
Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

Publicado por

Marlos Ápyus

Jornalista e músico. Edita o implicante.org desde julho de 2017. Siga-o no Twitter (@apyus) ou no Facebook (/apyus), ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) clicando aqui.

Deixe uma resposta