Em escândalo da FIFA, testemunha disse que a Rede Globo pagava propina por direito de transmissão

Jose Maria Marin, Manuel Burga e Juan Angel Napout foram acusados de receberem milhões de dólares no escândalo de corrupção da FIFA desbaratado ainda em 2015. As cifras atingiam US$ 150 milhões pagos, entre outros benefícios, pelos direitos de transmissão. O executivo Alejandro Burzaco participou do julgamento na condição de testemunha. E confirmou algo de extremo valor para a opinião pública brasileira.

As informações foram adiantadas por Ken Bensinger, repórter do Buzzfeed News americano. Dentre as marcas que pagaram propina no esquema, estaria a brasileira Rede Globo. E não só ela: a Televisa, do México e a Fox Sports, dos Estados Unidos, completavam o time que ainda contava com Media Pro, Full Play e Traffic.

Como testemunha do governo americano, Burzaco disse que a empresa dele tinha parceria com todas as citadas. E que o próprio tinha pleno conhecimento dos pagamentos de suborno.

A informação vem numa época em que a emissora não anda bem com a opinião pública, cada vez mais politizada e credora de uma boa conduta.

Curtiu o texto? Siga o autor no Twitter ou Facebook, ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) dele clicando aqui e seguindo as instruções.
Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

Publicado por

Marlos Ápyus

Jornalista e músico. Edita o implicante.org desde julho de 2017. Siga-o no Twitter (@apyus) ou no Facebook (/apyus), ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) clicando aqui.

Deixe uma resposta