Qual critério Gabriel O Pensador usa para escolher o presidente que gostaria de matar?

Gabriel O Pensador ganhou fama quando uma letra para lá de polêmica foi censurada assim que chegou às rádios fluminenses. Nela, o cantor dizia estar feliz por matar o presidente. Era o início dos anos 1990, já no finzinho do governo Collor. Na ocasião, imprensa, classe artística e militantes se posicionaram em favor do rapper, que chegaria ao mercado um ano depois com um ótimo álbum de estreia.

Desde então, as polêmicas do carioca passaram a mirar outro alvos, como playboys, mulheres loiras e maconha. Só em 2001, um segundo hit mais contundente atingiu o meio político, mas sem dar nomes aos bois. Apenas perguntava: “até quando você ficar levando porrada?

Nos dezesseis anos seguintes, o rapper passaria a se destacar mais pela literatura infantil que encabeçou. Contudo, em outubro de 2017, voltou com “Tô Feliz (Matei o Presidente) 2“, uma continuação do hit que o revelou. Em vez de Fernando Collor de Mello, no entanto, o alvo foi Michel Temer.

Nas redes sociais, comenta-se o desalinhamento do peso do refrão com o discurso pacifista que a esquerda encampa. A mesma esquerda que celebra a canção na imprensa.

Em verdade, uma vez que a agressão não sai do campo das ideias, O Pensador apenas faz uso de um nível de liberdade de expressão que apenas os países mais civilizados possuem. Contudo, fica a questão: qual critério este “serial killer” usa para escolher vítimas? Será que, nesse meio tempo, nenhum outro presidente da República fez por merecer virar alvo de suas rimas?

É estranho.

Curtiu o texto? Siga o autor no Twitter ou Facebook, ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) dele clicando aqui e seguindo as instruções.
Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

Publicado por

Marlos Ápyus

Jornalista e músico. Edita o implicante.org desde julho de 2017. Siga-o no Twitter (@apyus) ou no Facebook (/apyus), ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) clicando aqui.

Um comentário sobre “Qual critério Gabriel O Pensador usa para escolher o presidente que gostaria de matar?”

  1. Estão apenas sendo implicante, certo? Gabriel mandou muito bem com essa letra. Ele não escolheu um presidente que ninguém mais suporta. Ao meu ver, ele escolheu o GOVERNO que ninguém mais suporta, o governo PMDB + PT + PSDB!

  2. Quando lula e companhia estavam saqueando o país, a classe artística estava bem calada. Quando a roubalheira ocorre pelas mãos de outros partidos, a mesma classe artística abre o berreiro. Não duvido que Gabriel tenha composto uma música para Lula: “Tô feliz, lambi o presidente”.

  3. Talvez a conclusão da análise seria outra se considerassem que Gabriel O Pensador também fez uma música chamada “Chega!” justamente durante o governo de Dilma.

Deixe uma resposta