Para seguir no cargo, Michel Temer comprometeu mais de R$ 36 bilhões do povo brasileiro

Um dia após O Globo calcular em R$ 12 bilhões os custos para Michel Temer se livrar da segunda denúncia que poderia dar fim ao próprio mandato, o Estadão, que está longe de ser um veículo de oposição ao Governo Federal, resolveu fazer o mesmo, mas somando o prejuízo com a primeira. Resultado: ao menos R$ 32 bilhões da poupança do povo brasileiro foi comprometida.

Foram R$ 17 bilhões para o parcelamento de dívida de ruralistas, R$ 6,4 bilhões da arrecadação prevista para o Refis, R$ 6 bilhões com o adiamento das privatizações da Infraero e R$ 2,7 bilhões com descontos de multas do Ibama. Além disso, ainda empenhou-se R$ 4,2 bilhões em emendas parlamentares, o que faria a conta superar os R$ 36 bilhões.

Ironica e tragicamente, são contas que justificariam um processo de impeachment contra o presidente da República. Mas a oposição passou a fingir que o problema não é com ela. Talvez por dividir com o governo o mesmo inimigo: a operação Lava Jato.