Ninguém escapa: Geddel era aliado de Temer endossado por Lula e Dilma

No momento em que a foto com os mais de R$ 51 milhões veio a público, retomou-se um “jogo de empurra” iniciado já na crise que findaria na queda de Geddel Vieira Lima. Um lado gritava que o investigado era ministro do governo Temer. O outro, que ele já havia sido ministro no governo Lula. E que o escândalo apurado ocorrera na Caixa Econômica Federal durante o governo Dilma.

Ambos os lados estavam errados. E certos, ao mesmo tempo. Porque de fato Geddel era, no jargão jornalístico, um nome “da cota de Temer”. Mas não enfrentaria com Lula e Dilma Rousseff a resistência de alguém que discorda de seus atos. Tanto que participou do ministério do primeiro, e foi vice-presidente de uma das maiores estatais no mandato da segunda.

Ninguém escapa. Se não estão unidos hoje, estavam no momento em que o eleitor se pronunciou nas urnas.

Curtiu o texto? Siga o autor no Twitter ou Facebook, ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) dele clicando aqui e seguindo as instruções.
Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

Publicado por

Marlos Ápyus

Jornalista e músico. Edita o implicante.org desde julho de 2017. Siga-o no Twitter (@apyus) ou no Facebook (/apyus), ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) clicando aqui.

Deixe uma resposta