Segundo Funaro, Temer recebeu do dono da Gol R$ 20 milhões em propina

Os investigadores entendem Lúcio Bolonha Funaro como o operador da quadrilha comandada pelo PMDB da Câmara Federal. Segundo a revista Época, o delator entregou que Michel Temer foi o destino de R$ 20 milhões em propina pagas por Henrique Constantino, um dos fundadores da Gol Linhas Aéreas. E que os valores teriam sido quitados em horas de voo utilizadas na campanha de 2014.

A contrapartida era o apoio ao projeto de abertura do setor aéreo ao capital estrangeiro. Uma Medida Provisória sobre o tema em questão foi aprovada pela Câmara Federal em meados de 2016 já com o apoio do governo Temer.

O fato, em si, justificaria um impeachment do presidente da República. E haveria brecha legal para a abertura do processo, uma vez que o acordo invadiu o atual mandato. Mas os adversários de Temer estão, no momento, mais debilitados politicamente que o peemedebista. E a população parece mais interessada em resolver o problema nas eleições de 2018 – postura semelhante à assumida em 2006 e 2014. Não deu certo lá. Dará agora?