Segundo assessoria, Jorge Picciani ameaçou dar um tiro na cara de Anthony Garotinho

Anthony Garotinho foi preso no 22 de novembro de 2017 por financiamento ilegal de campanha e cobrança de propina. Mas buscou evitar ir para a Penitenciária de Benfica, na zona norte do Rio, onde já se encontravam detidos outros nomes da política carioca. Para tanto, alegou que lá correria risco de ser morto por Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa, detido novamente na véspera.

A assessoria do ex-governador explicou o caso em nota. Um agente penitenciário o alertara de uma reunião entre Picciani e Sérgio Cabral. Deste papo, teria saído a afirmação de que o primeiro “iria dar um tiro na cara de Garotinho“.

Fica a dúvida, no entanto, se a defesa do marido de Rosinha Garotinha não estava apenas explorando uma “narrativa” para amolecer o coração de quem analisa-lhe o caso. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, a “integridade física dos internos do sistema penitenciário fluminense” está garantida.

Será que Picciani soube que, um dia antes de ser preso novamente, Anthony Garotinho “celebrou” a prisão do presidente da ALERJ?

Três dos últimos sete governadores do Rio de Janeiro foram presos

Desde que o Brasil voltou a ser uma democracia, o Rio de Janeiro elegeu 7 governadores. Destes, já morreram Leonel Brizola e Marcello Alencar. Dos cinco restantes, três foram presos: Sérgio Cabral, Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho – ou praticamente todos os governadores fluminenses eleitos que geriram o estado entre 1999 e 2014.

Só Luiz Fernando Pezão e Moreira Franco continuam livres, muito por causa do foro privilegiado, pois ambos estão sob a mira de investigações de peso, como as operações Lava Jato – tanto a de Curitiba, como a do Rio.

Quanto ao secretário-geral da Presidência da República, o próprio Ministério Público Federal já foi claro ao dizer que Michel Temer apenas o nomeou Moreira Franco para blindá-lo do trabalho conduzido por Sérgio Moro e Marcelo Bretas.

Nos últimos 34 anos, Nilo Batista e Benedita da Silva também assumiram o governo fluminense por alguns meses. Mas em casos distintos: tinham sido eleitos vice-governadores quando os titulares (Brizola e Garotinho, respectivamente) liberaram a cadeira para serem derrotados nas corridas presidenciais de 1994 e 2002.

Um dia antes de ser preso novamente, Anthony Garotinho “celebrou” a prisão de Jorge Picciani

Em nota, a defesa de Anthony Garotinho vem insistindo que o ex-governador do Rio de Janeiro estaria sendo perseguido por denunciar o esquema de Sérgio Cabral, preso desde 2016. Se é verdade ou apenas uma “narrativa” para driblar a Justiça, só o tempo dirá. Mas fato é que, um dia antes, o marido da também detida Rosinha Garotinho estava comemorando a volta de Jorge Picciani à cadeia.

A comemoração foi registrada em transmissão ao vivo acompanhada por O Globo:

“Tem até aquela piadinha do PMDB, o Partido do Movimento Democrático de Benfica, está todo mundo em Benfica. Os três deputados, o ex-governador (Sergio Cabral), os seus principais auxiliares, os seus operadores, vários empresários. Uma situação terrível. É preciso que a população acorde, porque ainda não terminou a faxina. Faltam outros setores que foram altamente envolvidos com essa safadeza toda.

Ironicamente, assim que a população acordou, soube da notícia de que o antigo primeiro casal do Rio de Janeiro havia sido preso.