Na mesma “altura do campeonato”, Dilma tinha em 2014 bem mais votos do que Lula tem (ou tinha) em 2018

17/03/2016- Brasília- DF, Brasil- Presidente Dilma Rousseff durante cerimônia de posse dos novos Ministros de Estado Chefe da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva

Como se o Brasil não tivesse uma lei impedindo que candidatos ficha suja disputem eleições, ou ainda como se Lula estivesse acima da lei, o Datafolha sugeriu, em cinco dos nove cenários testados, o nome do condenado. Pior: usou os votos que o ex-presidente teria para alegar que a “inelegibilidade” dele estaria prejudicado a democracia.

A depender dos adversários enfrentados, Lula teria entre 34% e 37% das intenções de voto. Parece muito e é, tanto que o colocava na liderança da corrida presidencial. Mas, em altura semelhante do “campeonato”, e de acordo com o mesmo Datafolha, Dilma Rousseff acumulava entre 43% e 47% das intenções de voto em 2014.

Aquele primeiro turno terminaria com a petista recebendo 41,6% dos votos válidos. Considerando brancos e nulos, a apadrinhada de Lula teve 37,6% – mais de 5% abaixo do que o instituto prometia naquele fevereiro.

Claro, muita água rolou, até um avião caiu matando um dos presidenciáveis. Mas tais dados deixam claro que, a mais de um semestre da eleição, condenar a democracia pela ausência de Lula é de uma leviandade gritante. Uma leviandade que – coincidentemente ou não – o PT adorou. Até demais.

Um dia antes de ser preso novamente, Anthony Garotinho “celebrou” a prisão de Jorge Picciani

16/11/2016 - Campos de Goytacazes - RJ, Brasil - O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, foi preso hoje (16/11), pela Polícia Federal. Garotinho é suspeito de envolvimento em uma esquema de compra de votos.

Em nota, a defesa de Anthony Garotinho vem insistindo que o ex-governador do Rio de Janeiro estaria sendo perseguido por denunciar o esquema de Sérgio Cabral, preso desde 2016. Se é verdade ou apenas uma “narrativa” para driblar a Justiça, só o tempo dirá. Mas fato é que, um dia antes, o marido da também detida Rosinha Garotinho estava comemorando a volta de Jorge Picciani à cadeia.

A comemoração foi registrada em transmissão ao vivo acompanhada por O Globo:

“Tem até aquela piadinha do PMDB, o Partido do Movimento Democrático de Benfica, está todo mundo em Benfica. Os três deputados, o ex-governador (Sergio Cabral), os seus principais auxiliares, os seus operadores, vários empresários. Uma situação terrível. É preciso que a população acorde, porque ainda não terminou a faxina. Faltam outros setores que foram altamente envolvidos com essa safadeza toda.

Ironicamente, assim que a população acordou, soube da notícia de que o antigo primeiro casal do Rio de Janeiro havia sido preso.